Notícias

Entre a pressa e a ética

Luciane Pires - Entre a pressa e a ética

Você vive uma vida como a de todo mundo: acorda apressado, escova os dentes, toma café, se arruma e vai para o trabalho. Trabalha o dia todo, almoça correndo e volta pra casa. Quando não vai pra aula. Após mais um longo dia, chega em casa, toma banho, come alguma coisa leve, faz um carinho no seu bichinho de estimação, dá um pouco de atenção pra família e vai pra cama. Exausto!Talvez haja algumas variações no seu cotidiano, mas basicamente é isso. Não dá tempo de muita coisa, sobretudo de pensar nos hábitos alimentares e de cuidados pessoas. Come-se o que há no restaurante, o que foi preparado por alguém e, quanto a higiene pessoal, a maioria das pessoas acaba comprando os produtos de mais fácil acesso, ao seu alcance e mais barato. Sobretudo o que receber campanhas endossadas por artistas na televisão.

Mas o que ninguém para pra pensar é que, quando se compra qualquer produto – desde aqueles de lavar louça até mesmo o sabonete, shampoo, condicionador, maquiagem, creme de barbear -; milhares de animais estão sendo barbaramente torturados através de mutilações, queimaduras, contatos abrasivos, inalações com gases tóxicos; tudo isso sem contar a sobrevida em gaiolas, machucados, esperando quando será o próximo teste. Para você ter uma ideia do horror e entender exatamente do que estamos falando, digite no google ‘testes em animais’ ou ainda ‘produtos testados em animais.

Na época da invasão ao Instituto Royal virou notícia, muitos ficaram estarrecidos ao conhecerem o real estado dos cães Beagles, muitos sem patinhas, sem olhos ou com enormes buracos em seus corpinhos. O caso ganhou discussão na mídia, Luisa Mel encabeçou um longo debate, o deputado Ricardo Tripoli abriu projetos para o fim dos testes. Muito se avançou de lá pra cá, sendo proibido laboratórios de testes em muitos locais do Brasil.

Mas ainda há muito que se avançar, pois a maioria das empresas que fazem os produtos mais populares das farmácias testam em animais. Se você pudesse, numa analogia, ver realmente do que foi feito o shampoo, o condicionar, o sabonete, a maquiagem, o esmalte, o creme que passa no rosto; veria sangue escorrendo das embalagens.

Toda esta crueldade é maquiada pelo marketing que devolve uma atmosfera de desejo através de modelos bonitas, artistas e pessoas que endossam estes produtos, praticamente hipnotizando os consumidores menos atentos a tudo que acontece para um produto chegar na sua prateleira.

Entre a pressa e a ética
Foto: Luciane Pires

Cruelty free é o selo dado às marcas que não compram de laboratórios que fazem testes em animais. Contudo, ao se adquirir um produto com selo cruelty free, você deve ter ciência ainda que, não testam, mas podem conter ingredientes de origem animal em sua composição: sebo, mel, lanolina, colágeno animal, etc.

Veganos são produtos feitos com ingredientes naturais, vindos da Terra, com insumos orgânicos e totalmente isentos de qualquer tipo de crueldade. Sua base não possui gordura de porco, nem colágeno animal, nem mel, lanolina (um derivado da lã da ovelha), absolutamente livre de testes e crueldade.

A verdade é que estes produtos nem sempre têm livre acesso na prateleira dos mercados. Mas há uma maneira de deixar de colaborar com o sofrimento dos animais e ter a certeza de não mais derramar sangue em seu corpo e na limpeza geral da casa. A velha e boa listinha de produtos isentos deve ficar na sua carteira.

E aqui vai uma ajudinha:

– Lista negra de produtos que TESTAM em animais: você vai perceber a triste realidade, essas marcas são as mais populares, as queridinhas dos brasileiros e oque é pior: neste momento você deve ter ao menos um destes produtos na sua prateleira.

– Lista de produtos que NÃO TESTAM em animais.

Para as adoradoras do universo da beleza, existe já no mercado, caixinhas que trazem mensalmente novidades com maquiagens, produtos de hidratação, cuidados pessoais, além de acessórios e toda uma curadoria composta de blogueiras super famosas que ditam tendências e mostram o que é conceito em cada estação. Um exemplo é a Ritual Box que parece ter agradado até mesmo a sereia Yasmin Brunet que se derreteu toda em seu snap chat com o uso dos produtos que não maltratam os animais.

A verdade é que se torna incoerente amarmos nossos bichinhos de estimação, cuidarmos, protegermos como se fossem nossos filhos, e, ser instrumento de tortura e morte de milhares de outros animais por segundo no mundo. Passa da incoerência. Chega a ser inexplicável. O amor deve se estender a todas as criaturas vivas, com senciência e amor no coração.

“Os animais também são pessoas assim como nós também somos animais.” – Steve Wise – renomado cientista.

Foto abertura: Luciane Pires

Comentários

comentários

Tags:

Um comentário

  1. Queremos mas produtos Veganos nas prateleiras dos supermercados e agradecemos ao que já temos .grata é bom ver a beleza de um um produto Vegano.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *