RestaurantesVegano

Congolinária reabre em parceria com Fatiado Discos em Sumaré

Congolinária

Congolinária é um restaurante 100% vegano focado em servir pratos da gastronomia típica do Congo. Comandado pelo refugiado chef congôles Pitchou Luambo, o restaurante foi inaugurado pela primeira vez há quase 1 ano na Vila Madalena, passou por uma fase itinerante e esta semana reabriu em parceria com a Fatiado Discos, na Avenida Professor Alfonso Bovero, em Sumaré.

O Pitchou Luambo já é um dos chefs veganos mais conhecidos da cidade. Desde a sua primeira aparição na cena vegana de São Paulo, ele vem em constante ascensão, empreendendo muito e participando de vários eventos relacionados ao veganismo.

O Congolinária deu início em suas atividades há quase 1 ano na Praça de Alimentação “O Quintal da Casa” que fica lá na Vila Madalena. Depois de um tempo, o restaurante virou itinerante e acabou fazendo algumas parcerias e funcionando por curtos períodos. Enquanto isso, eles sempre estavam presente nos eventos e feiras veganas que acontecem na cidade.

Após algumas parcerias de sucesso com a Fatiado Discos, os proprietários do local junto com o Pitchou acharam uma boa ideia ter o Congolinária fixo no local. A Fatiado Discos também já realiza semanalmente um evento com refugiados palestinos.

Nesta semana então rolou a inauguração do novo espaço e por toda a minha admiração pelo Pitchou, fiz questão de estar presente e comer por todos vocês que ainda não foram. 😀

O restaurante tem acesso por uma escadinha logo na entrada da Fatiado Discos. Ao subir as escadas, você já está nos 2 salões onde ficam as mesas do restaurante.

Congolinária - Fatiado Discos

Congolinária - Fatiado Discos

Congolinária - Fatiado Discos

Congolinária - Fatiado Discos

Congolinária - Fatiado Discos

Congolinária - Fatiado Discos

Congolinária - Fatiado Discos

Pitchou Luambo além de chef vegano também é advogado, ator, produtor cultural, professor de francês e ativista de direitos humanos desde quando morava na África. Há 7 anos, o Pitchou mudou-se para o Brasil refugiado dos conflitos armados que, infelizmente, é uma realidade cotidiana em vários países da África. Aqui em São Paulo, ele também é um dos fundadores do Grist (Grupo de Refugiados e Imigrantes Sem Teto), grupo que trabalha para promover a integração de refugiados de diversos países.

Por ser o primeiro e único restaurante vegano de comida típica congolêsa no Brasil, a curiosidade dos que ainda não provaram as criações do Pitchou é sempre enorme, pois se uniram 2 coisas que para muita gente é novidade: gastronomia vegana e gastronomia do Congo. O que será que dá nessa mistura?

Bom, eu já provei muitos pratos do Congolinária e só digo que são espetaculares. A base dos pratos da culinária congolêsa são vegetais, muito mais do que as carnes. Lá no Congo faz parte da cultura cozinhar em casa com ingredientes simples, tudo artesanal e quase nada industrializado.

O cardápio do novo espaço mantém os já conhecidos pratos pelo público fiel do Congolinária, como o nhoque de banana da terra e a couve na mwamba (refogado de couve servido com pasta de amendoim), mas a ideia agora é oferecer pratos diferentes todos os dias. O Pitchou já está com várias novas criações para nos apresentar como, por exemplo, a feijoada e o okapi (massa feita à base de mandioca fermentada: uma comida que os caçadores e pescadores levavam quando iam caçar ou pescar, porque ela se conserva durante muito tempo e era prático sem precisar levar as panelas para preparo). A ideia é trazer o sabor do Congo para o Brasil com releituras dos pratos, substituindo os ingredientes de origem animal e também os que não são encontrados por aqui.

Congolinária - Fatiado Discos
MBUZI: fufu de farinha de arroz ou fubá (tipo polenta), banana da terra frita, couve na mwamba e salada.
Congolinária - Fatiado Discos
SAMBUSA: massa sem gordura animal feira à base de trigo, água e sal. Recheio elaborado com espinafre com creme de semente de girassol.
Congolinária - Fatiado Discos
OKAPI: kwanga (massa feita à base de mandioca fermentada), feijão branco temperado com dendê e tomate fresco, salada cozida de couve flor, cenoura e grão de bico.
Congolinária - Fatiado Discos
Feijoada vegana.
Congolinária - Fatiado Discos
Feijoada vegana.
Ngombe - Congolinária
Ngombe: nhoque de banana da terra ao molho de shimeji.
Congolinária - Fatiado Discos
OMOMBA: doce de biomassa de banana da terra com pasta de amendoim com sorvete de hibisco ou tamarindo.

Como vocês podem imaginar, provei e amei todas as comidas dessas fotos aí em cima. Uma outra dica é pedir o tradicional tangawisi (suco de gengibre e abacaxi) para acompanhar a refeição.

Confira o novo cardápio fixo:

REFEIÇÕES:
MBUZI: fufu de farinha de arroz ou fubá (tipo polenta), banana da terra frita, couve na mwamba e salada (R$30)
NGOMBE: nhoque de banana da terra ao molho de mix de cogumelos e salada (R$30)
BATA: arroz de coco, purê de milho fresco, espinafre temperado com tofu fresco, creme de semente de girassol e especiarias, salada de brócolis, couve flor, grão de bico, cenoura e tomates cozidos (R$30)

SALGADOS ASSADOS:
SAMBUSA: massa sem gordura animal feira à base de trigo, água e sal. Recheio elaborado com espinafre com creme de semente de girassol (R$5)
KACHORI: bolinho feito à base de batata inglesa, gengibre e shimeji (R$5)

SOBREMESA:
OMOMBA: doce de biomassa de banana da terra com pasta de amendoim com sorvete de hibisco ou tamarindo (R$8)

SUCOS:
TANGAWISI: bebida típica africana de gengibre, abacaxi e limão (R$8)
BISSAP: bebida típica africana de hibisco com manga (R$8)
TOMI: tamarindo com manga (R$8)

Durante a inauguração tivemos a honra de receber o Pitchou em nossa mesa onde nos contou várias histórias das suas criações e também curiosidades sobre a culinária e vida no Congo.

Pitchou, mais uma vez te desejo muito sucesso! Admiração profunda por você como pessoa e também por todo o seu talento na cozinha. Estarei por aí sempre que puder para saborear suas criações! 😛

Nem preciso dizer que se você ainda não visitou o Congolinária, agora temos uma mega oportunidade de poder almoçar quase todos os dias da semana por lá! Não deixe de conhecer! 🙂

Congolinária – Descobrindo os sabores do Congo
Aberto: de terça a domingo; fechado às segundas
Horário: das 11h30 às 15h
Serviço: à la carte.
Local: Av. Prof. Alfonso Bovero, 382 – Sumaré – São Paulo/SP – Mapa aqui
Facebook: Congolinária
Instagram: @congolinaria

Comentários

comentários

Tags:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *